Black Friday Brasil 2020

Veja em Tempo Real as Super Ofertas do Black Friday 2020 aqui no Brasil

Retargeting: o que é e como funciona?

A ideia de ver um comprador quase finalizando uma compra, mas ao fim desistindo, pode ser frustrante para muitos. Ainda bem que, como uma maneira de se reinventar, podemos contar com o Retargeting.

Sabemos como o Marketing Digital tem a competência de estar em constante transformação, reinventando-se quando falamos sobre a eficiência de forma mais dinâmica que as demais ferramentas de comunicação. 

Mas o que é o Retargeting e como ele funciona dentro das estratégias de Marketing Digital? Quais são as suas diferenças do Remarketing e, afinal, como aplicá-las em seu negócio?

Continue a leitura para responder a todas essas dúvidas!

O que é Retargeting

A porcentagem de pessoas que fecham uma compra logo na primeira vez que visitam um e-commerce ou loja é muito baixa. Por conta disso, as empresas podem contar com uma estratégia: o Retargeting.

Basicamente, essa é a maneira de lembrar o seu consumidor em potencial, ou seja, aquelas pessoas que já visitaram a sua página são lembradas da sua marca. Com isso, o grande objetivo é fazer que ela volte ao seu objetivo inicial, o de realizar a compra, e retorne ao seu site.

A ideia, portanto, é que você não deixe a maior parte dos seus usuários simplesmente irem embora e se esquecerem do seu negócio e, por isso, o Retargeting busca impactá-los de outra forma: através do uso de anúncios direcionados ao público que já visitou a sua página.

Como funciona o Retargeting?

O uso dessa estratégia pelas empresas, portanto, tem como objetivo principal trazer os usuários de volta para a conversão. Quando isso ocorre, você sabe que o trabalho cumpriu com o seu propósito principal.

Sendo assim, entendemos que o Retargeting é interessante para aquelas empresas que tem como objetivo vender mais. Entretanto, isso pode ser feito de diferentes maneiras. Vamos entender como funciona:

Estático

Essa estratégia envolve criar um grupo fixo de anúncios que serão mostrados às pessoas dependendo das páginas que elas visitaram. Ou seja, envolve o retargeting de URLs específicas.

A partir do momento que uma pessoa entra em alguma página específica do seu site, ela – junto com os demais – serão atingidos por anúncios fixos através da estratégia de remarketing.

Dinâmico

Aqui, a sua empresa cria anúncios personalizados para cada consumidor. Mas como isso? Essa estratégia depende também de uma tecnologia mais sofisticada para analisar o comportamento do consumidor e então personalizar o anúncio baseado em preferências individuais. 

Neste caso, a estratégia envolve impactar a pessoa de maneira personalizada, o que significa que é necessário um diferente tipo de tecnologia para conseguir analisar os dados dos usuários e, por fim, criar o anúncio baseado em suas prioridades.

Para clientes

Você também pode criar estratégias para o retargeting de clientes já existentes. Sabe aquele usuário que comprou em sua empresa há algum tempo, mas nunca mais voltou? Essa estratégia é exatamente para ele. Dessa maneira, é possível realizar o upselling de novos produtos.

Apesar da mesma estratégia, aqui lidamos com uma abordagem diferente. Afinal, a pessoa não apenas já conhece a marca, mas ela já tem uma experiência de compra com a sua empresa. Por isso, a comunicação deve ser diferente, muitas vezes indicando novos produtos pelos quais ela pode se interessar.

Principais vantagens

Uma das principais vantagens do Retargeting é que ele pode ser usado em diferentes redes sociais, como o Twitter e o Facebook, com uma taxa de cliques muito maior do que em banners. Com isso, é possível mensurar com exatidão quais foram os resultados da campanha por meio do custo por aquisição (CPA) e do custo por clique (CPC). 

Além disso, podemos elencar outras vantagens, como:

  • Aumento na taxa de conversão;
  • Boa taxa de recuperação de carrinhos abandonados;
  • Conversão de consumidor já interessado;
  • Reforça a sua marca.

E como uma das principais vantagens, temos a que o Retargeting é econômico, principalmente quando a empresa segue as melhores práticas. Isso porque os anúncios são exibidos às pessoas certas e nos momentos certos, o que maximiza o engajamento.

Qual a diferença entre o Remarketing e o Retargeting?

Muitos podem ficar em dúvida em relação às diferenças entre o Remarketing e o Retargeting, isso porque as duas estratégias envolvem a atração de pessoas que já foram impactadas previamente pela sua marca e conhecem o seu negócio.

Entretanto, a grande diferença é que o Retargeting faz isso através dos anúncios para as pessoas que interagiram com a marca e os seus dados foram capturados pelos cookies (quando bem configurados para a estratégia).

Enquanto isso, o Remarketing executa essa estratégia através do E-mail Marketing: outro grande aliado do Marketing Digital. Isso significa que os usuários já são leads ou até mesmo clientes, lidando na maioria das vezes com um público diferente do Retargeting.

Por conta dessas diferenças, que acabam até mesmo complementando-se, você também pode encontrar estratégias que envolvem o trabalho conjunto das duas partes. 

Ainda assim, é possível notar como o Retargeting é uma estratégia diferenciada do Marketing Digital e, principalmente, foca em recuperar um público que já demonstrou algum interesse em sua empresa, gerando muito mais engajamento.

Da mesma maneira, as duas estratégias trabalhadas em conjunto podem oferecer um grande potencial de vendas, contribuindo ainda mais na construção da marca.

Sabendo de tudo isso, você entende como é possível trazer de volta os usuários que saíram da sua página sem comprar nada. Uma das primeiras estratégias que você pode adotar para dar início, é a de remarketing em URL específicas.

Assim você entende como funciona na prática e consegue avaliar, de maneira mais assertiva, qual o impacto disso para o seu negócio. E então, pronto para colocar a mão na massa? Bons negócios!

Redação Black Friday