Guarulhos, 25 de agosto de 2014

A 100 dias do Black Friday Brasil 2014, que será realizado a partir da meia-noite de 28 de novembro, o e-commerce já começa a se movimentar. O site Busca Descontos, que centraliza todas as ofertas do varejo virtual e promove a data, acaba de dar a largada no evento ao convocar os consumidores a deixarem sugestões de promoções, indicação de produtos ou fazerem reclamações pelo www.blackfriday.com.br. A ideia é direcionar corretamente o evento para evitar problemas e oferecer a melhor experiência possível para o consumidor durante as 24 horas de ação promocional, explica Pedro Eugênio, idealizador do portal e fundador do Busca Descontos.

“Queremos saber a opinião das pessoas para bater de porta em porta nos e-commerces e mostrar ao varejo como se preparar em termos de ofertas e estoque, porque o consumidor pede isso”, diz.

A edição 2014 também marca o segundo ano de adesão dos lojistas virtuais ao Código de Ética para o Black Friday, desenvolvido pela Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net). As lojas que aderirem atuarão sob as regras do texto, e só anunciarão ofertas reais na ação, sob pena de serem suspensas do site em caso de descumprimento. “Os consumidores estão cada vez mais antenados e descobriram que têm força. Nas últimas edições, os e-commerces discutiram as melhores práticas para fortalecer essa estrutura, pois sabem que, se fizerem algo errado, estarão na mídia praticamente em tempo real – e como empresa desonesta”.

Segundo Ludovino Lopes, presidente da camara-e.net, em 2013, quando o Código foi implantado, 123 lojas aderiram e, no universo dessas empresas, houve uma mudança significativa na quantidade e no tipo de reclamação – em especial em relação aos cuidados na identificação dos itens em promoção, e da clara identificação dos valores das ofertas.

“Ainda existe um trabalho a ser feito na questão de infraestrutura e acessibilidade, uma vez que o sucesso da data leva muitas vezes à sobrecarga de acesso e retirada do ar de alguns websites por tráfego intenso”, explica. “Mas o Código e seus princípios ajudaram as empresas a pautarem sua comunicação com o consumidor, e trouxe uma base de apoio para todos. O objetivo é consolidar essas práticas para se incorporarem ao mercado e ajudar a separar o joio do trigo nas práticas de comércio eletrônico em épocas de promoção, e não apenas no Black Friday”, ressalta.

Bom para o consumidor –
Mesmo com o site ainda levantando as projeções de vendas junto aos lojistas, Pedro Eugênio afirma que as expectativas são de superar os R$ 770 milhões faturados pelo e-commerce durante as 24 horas da edição 2013 do Black Friday, que cresceu 217% ante 2012 (dados da consultoria E-bit) – lembrando que, comparado ao total “absurdo” de vendas, as reclamações cresceram apenas 6% segundo outro parceiro do Busca Descontos na ação, o site Reclame Aqui. “Quando entendemos que essa ação era necessária (lançar o Código), o cenário começou a mudar”, acredita.

Mas este ano será “especialmente interessante” para o consumidor. “As vendas do varejo até agora não corresponderam às expectativas e há muito estoque encalhado. Por isso, os lojistas já sinalizam fazer promoções mais agressivas para limpar esses estoques”, conclui o fundador do Busca Descontos.

Fonte: https://www.aceguarulhos.com.br/blog/black-friday-quer-entender-o-consumidor/