Black Friday

Planejamento do Black Friday e os Meios de Pagamento

Para quem trabalha com e-commerce, nenhum momento é tão importante quanto a Black Friday. A gente passa o ano esperando pelo segundo semestre para pensar nas estratégias, nos produtos, no que oferecer para atrair o consumidor (novos ou antigos) para a nossa tão desejada conversão.

Mas, tão importante quanto pensar nos produtos e nas promoções que sua loja online irá promover, é pensar em como concretizar tudo isso, de fato, em conversão. Por isso, vamos falar hoje sobre um assunto que pouca gente aborda, mas que é crucial para o sucesso das suas ações: os meios de pagamento – e toda a experiência do consumidor para o sucesso em uma compra.

“Desk (+Mobile) Research”

O  termo do mercado de marketing desk research quer dizer nada mais nada menos que pesquisa de dados. Aqui, cabe entender como é o seu processo de compra, do seu concorrente, de marcas líderes em varejo online. Uma dica é: literalmente simule compras em todos esses pontos de contato. O melhor de tudo? Isso custa R$ 0,00 e pouco tempo.

Um trabalho como esse te ajudará a entender como é a jornada do consumidor a partir do momento em que ele entra no e-commerce, passando pelo produto, carrinho, compra, para, ao final de tudo, compilar as experiências positivas e/ou negativas e fazer uma análise geral com os principais take-aways disso tudo.

Trazendo para nossa realidade, por favor, vamos adaptar o termo para desk+mobile research, tá? Isso porque, segundo a 40ª Webshoppers, 25% das compras feitas em e-commerces brasileiros no primeiro semestre desde ano já foram através de smartphones. É importante ficar atento. Uma experiência mobile first é mais que mandatória.   

Make it simple

Entendendo a jornada do consumidor, prepare a sua experiência de check-out baseada em todo o estudo acima e também em outros dados importantes do mercado, como, por exemplo:

  • Otimize o campo de cadastros: nenhum consumidor tem que precisar escrever uma redação para fazer uma compra. Tenha somente campos essenciais e, se possível, promova facilidades como, por exemplo, cadastro rápido através de plataformas de social media (como Facebook, Google, Twitter). As principais plataformas de e-commerce já oferecem essa integração. Consulte sua área técnica;
  • “Não esconda nada, mostre-me tudo”: um dos itens importantes para ter segurança em efetuar a compra é ter todos os possíveis custos extras como frete, embalagem, ou até mesmo outros descontos, claramente exibidos. Apresentar tudo isso de maneira organizada faz com que o consumidor não se surpreenda com alteração de preço na hora de finalizar o processo;
  • Segurança: é crucial apresentar em algum espaço da sua loja virtual selos e protocolos que indicam que o ambiente é seguro para fazer transações.
  • Ambiente responsivo: o desktop funcionando é ótimo, e sabemos que a maioria das compras no Brasil ainda são finalizadas por esse tipo de dispositivo, mas não esqueça de que o mobile ganha cada vez mais expressividade. Por isso, garanta agilidade e boa usabilidade também para os tablets e smartphones;
  • Não direcione para outras páginas: faça tudo sem tirar o consumidor da sua página. Hoje, já existem ferramentas e plataformas que integram toda a experiência sem precisar tirar o cliente do seu e-commerce.

Mas, no final das contas, sobre o que é tudo isso? É sobre, como diria o slogan de um grande parceiro meu, “make it simple”: ou seja, quanto mais simples, direta, objetiva, que demande menos cliques essa experiência for, melhor. One-click buy? – comprar em apenas um clique -, é um sonho! Se conseguir, por favor, torne-o realidade. 😉

“Crédito, Débito?” ou Boleto?

Se você já teve a oportunidade de viajar para outros lugares do mundo, você já percebeu que essa frase “Crédito ou débito?” na hora de pagar uma conta só é comum em lojas físicas brasileiras. E com os e-commerces verde e amarelo não é diferente. Forma de pagamento é, sem dúvida, um item tão importante quanto o processo de compra.

De acordo com a 40ª Webshoppers, o cartão de crédito é o meio de pagamento mais utilizado para compras online (67%) e mais da metade (52.6%) com pagamento à vista. Mas, ao mesmo tempo em que esse meio de pagamento está em alta, dados da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), mostram que 40% dos brasileiros não têm conta bancária e, por isso, o boleto ainda é extremamente importante.

Além disso, quem nunca se deparou com aquela frustração de só conseguir pagar em cartão de crédito em um mês onde o limite está estourado, não é mesmo? Por isso, em complemento à frase popular das lojas físicas, faço aqui a minha adaptação para as lojas online: crédito, débito ou boleto?

Já no boleto, temos uma quebra enorme de consumidores que geram e não pagam. Em um dado momento da minha carreira, já lidei com uma quebra de boletos de 70% (se-ten-ta!!). Ou seja: 70% de compras captadas, mas não aprovadas, gerando uma retenção de vendas enorme. Faça os cálculos: se seu e-commerce, por exemplo, tem um ticket médio de R$ 300,00 e você capta 2.500 boletos por mês, uma quebra de 70% indicaria deixar de faturar R$ 525.000,00, por exemplo.

Muito ainda é pouco

Ok, ter várias opções de pagamento para “agradar gregos e troianos” é excelente, claro. Mas ter tudo isso ainda é pouco, a experiência sempre pode melhorar. 

  • No caso de oferecer pagamento através de cartão de crédito: Prefira plataformas que disponibilizem, de maneira automática, a informação sobre se o cliente tem limite ou não para finalizar a compra, antes de captar o pedido. Além disso, também escolha os parceiros que ofereçam mais de um cartão de crédito como opção de pagamento, podendo dividir a compra em dois cartões diferentes, por exemplo;
  • Cartão + Boleto: Em algumas plataformas, é possível mesclar essas experiências
  • Cartão de débito e/ou TED Bancária: ideal para suprir os consumidores que não usam e/ou não podem usar cartão de crédito e também querem facilidade de pagamento  

Cartões e boletos com dias contados. Será?

Uma novidade imperdível para ficar no radar, e também para a Black Friday, são os meios de pagamento através de aplicativos de empresas de tecnologia, como Apple Pay, Google Pay ou Samsung Pay. Esse tipo de oferta promete facilitar – e muito – tanto em termos de experiência quanto integração de meios de pagamento, oferecendo uma experiência all-in-one.

Se eu pudesse dar um conselho, escolha um deles e faça um teste.

A minha recomendação é seguir com o Google Pay, e vou te dar as minhas razões:

  • O consumidor brasileiro é majoritariamente Android, sistema operacional do Google: representa 90% dos usuários de smartphone do Brasil;
  • Processo de check-out em apenas dois cliques: geralmente, um processo não tão otimizado, mas também não tão ruim, leva de 20 a 25 cliques só para inserir o cartão – sem contar para falar dos campos de endereço;
  • API Única: uma única interface que já permite uma experiência integrada tanto para web quanto para app; 
  • Rápida integração: Tive a oportunidade de acompanhar uma integração durante o Google Pay Launchathon 2019 e a experiência como um todo para o e-commerce não dura mais que 2h. 
  • Não tem fee;
  • Por último e não menos importante – débito: Em breve a opção estará disponível aqui no Brasil, sendo uma excelente opção para os problemas que já abordamos acima, como os de limite no cartão de crédito e/ou boleto; 

Prepare-se  para os meios de pagamento e bons negócios!

Fonte: E-commerce Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *